• MarkEsalq

O Marketing no mês do orgulho LGBTQIA+ - Por Bruna Manesco


No mês de junho é comemorado o orgulho LGBTQIA+. A data é escolhida em homenagem à Rebelião de Stonewall, uma série de protestos feitos pela comunidade LGBT+ contra a invasão policial ao bar Stonewall Inn e a consequente violência sofrida pelas pessoas que frequentavam o local. O que era apenas uma rebelião local virou um protesto nos dias seguintes e reuniu milhares de pessoas da cidade de Nova York, marcando o dia 28 de junho de 1969 como o Dia Internacional do Orgulho LGBT+.

Para a comemoração da data, muitas empresas fazem produtos diferenciados, mudando as embalagens, deixando tudo mais colorido com a Bandeira Arco-Íris. A Adidas, por exemplo, lançou a 2021 Pride Collection, trazendo calçados com estampas diferentes, incluindo a frase “Love Unites” e muitas cores, fugindo de outras campanhas que utilizam apenas o símbolo de arco íris.


A marca de balas Skittles também fez um projeto de marketing muito inovador em apoio ao orgulho LGBT+. Desde 2017, nesta data, a empresa que é reconhecida pelas embalagens coloridas e chamativas, lança um pacote totalmente branca e com balas também brancas. A mensagem transmitida pela campanha é: “Durante o Pride, apenas um arco-íris importa. Então, estamos abrindo mão das nossas cores para apoiar vocês”.

Há ainda empresas que patrocinam eventos, fazem campanha de apoio ao revertem parte do seu lucro para instituições de acolhimento e de ajuda aos LGBT+. O Google lançou, em 2021, seu projeto Play de Verdade, com o objetivo de aumentar o debate sobre inclusão e fazer uma abordagem prática de temas de equidade; além de utilizar a plataforma Youtube e procurar fazer com que o espaço seja aberto para essas discussões, o projeto conta com o patrocínio de outras grandes empresas, como o Bradesco, Mercado Livre e a Diageo/ Smirnoff.

A marca Doritos, que já faz campanhas de ajuda à cinco anos, trabalha com o Doritos Rainbow, uma embalagem diferenciada de seu produto, e doará, em 2021, 10 milhões de reais divididos entre 10 instituições voltadas aos LGBTI+ que façam acolhimento socioemocional, geração de renda ou sensibilização e visibilidade desse público.


Uma propaganda que acabou criando uma grande polêmica foi o comercial do Burger King, intitulado “Como Vou?”. Nele, é tratado a questão de como os pais vão “explicar” para as crianças sobre o assunto LGBTQAI+, trazendo o relato de várias crianças sobre o tema. Entretanto, muitos internautas tiveram uma interpretação errada do comercial, achando que ele incentivava as crianças a serem LGBT ou que as sexualizavas, o que gerou uma série de comentários preconceituosos. Na verdade, nada disso está contido na propaganda, que apenas retrata a forma como as crianças enxergam o assunto.

Apesar de tantas campanhas legais, uma questão sempre surge, quanto ao chamado “Pink Money”; em outras palavras, até que ponto a empresa faz esse tipo de campanha para realmente apoiar seu público ou ela está se aproveitando dessa pauta social para lucrar? Afinal, não basta apenas fazer embalagens com arco-íris, são necessários projetos reais que acolham os LGBT+ e os ajude a superar todo o preconceito e exclusão que sofrem, lutando assim por uma diversidade e inclusão que existem naturalmente todos os dias.





















26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo