top of page
  • Foto do escritorMarkEsalq USP/ESALQ

Copa do mundo: Visão socioeconômica e Contexto Pós-pandêmico

Atualizado: 17 de nov. de 2022

De quatro em quatro anos ocorre um dos eventos mais famosos ao redor do globo, a Copa do Mundo. Nela há interação social, econômica e cultural. A gerar uma troca entre diversos países com hábitos e culturas distintas. Em tais ocasiões sazonais, tem-se a recepção de diversos times de futebol que trazem seus jogadores para o país selecionado onde ocorre a competição. Desse modo, acarreta tanto em um investimento em infraestrutura interna para o país sorteado como sede, como em um aumento do turismo pela vinda de estrangeiros em grande escala para assistir aos jogos.



A próxima Copa do Mundo ocorrerá no final deste ano (2022), no Catar, sendo a 22° edição da Copa do Mundo. O começo do evento será no dia 21 de novembro. Com transmissões por diversas emissoras ao redor do globo, por exemplo, tem a Band, Jovem Pan, Rádio Itatiaia, Transamérica e a Rede Globo. Tendo ainda emissoras online, como a NWB que conta com o patrocínio de gigantes como a Brahma; Mercado Bitcoin e Nike.


O evento do final deste ano é de suma importância, envolvendo todo um contexto pós-pandêmico, com o quadro de vacinação avançado e a volta do convívio social em estádios de maneira intensiva. Tudo isso acarreta uma atmosfera distinta para a Copa do Mundo de 2022, além de ser a primeira vez que um país árabe sediará a competição.


Com tamanha proporção, os investimentos no evento não são poucos. Nesta semana (do dia 27/05), a Rede Globo fechou mais um patrocínio esta semana, com a Samsung e outras 4 empresas, garantindo assim um faturamento de pelo menos R$ 1 bilhão, somente em patrocínio. Com outras gigantes garantindo espaço nas telas, como a Claro, Itaú, Ambev e Magazine Luiza, cada uma pagando pelo menos R$ 200 milhões para anunciar no canal aberto.

O investimento interno por parte do governo do Catar é o equivalente a US$ 220 bilhões (custo estimado). Priorizando infraestruturas, focado para a Copa e sendo o mais caro de todas as ocasiões de Copas do Mundo. Devendo-se dar destaque ao tamanho exorbitante destes gastos se comparado à Copas anteriores, como a da Rússia em 2018, em que se gastou US$ 11,6 bilhões e a do Brasil em 2014, com gastos de U$ 15 bilhões.

Vale ressaltar, que o país está criando toda uma infraestrutura com o intuito de se tornar um país de turismo. Com hotéis, aeroportos, transporte subterrâneo e tudo de primeira linha. Sendo menos de 10% do orçamento apresentado gasto em estádios, variando tal gasto entre 6,5 bilhões de dólares e 10 bilhões.




Outro símbolo de destaque das famigeradas Copas do Mundo são os mascotes, os quais simbolizam a nação e se tornam um ícone do evento em determinado país. O mascote da Copa de 2022 é o La'eeb, que significa craque em árabe. Ele é um lenço de cabeça masculino, símbolo tradicional que remete à cultura local.

Desta maneira, percebe-se que a Copa do Mundo é um evento internacional gigantesco que proporciona a troca de culturas e experiências entre os países. Proporcionando diversão e celebração ao redor do mundo, unindo as pessoas. Além de existir todo um interesse econômico por trás do mesmo, com altos investimentos em propagandas e requintadas elaborações de estratégias de marketing para tais eventos.





37 visualizações0 comentário

Kommentare


bottom of page